Esportes
A- A+

Saul Klein investe enquanto
aguarda por clube-empresa

  DANIEL LIMA - 18/09/2019

O clube-empresa que o empresário Saul Klein passará a dirigir será formatado juridicamente até dezembro deste ano, mas nada o impede de atuar desde já diretamente como investidor, depois de duas décadas como mecenas do São Caetano. Uma empresa de consultoria com experiência internacional prepara documentação que dará sustentação legal ao empreendedor esportivo que substituirá o doador que durante muito tempo sustentou o São Caetano. 

Saul Klein investirá preliminarmente em várias equipes, entre as quais estão na lista de candidatas o Santo André e o Comercial de Ribeirão Preto, que se enfrentam hoje no Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano, pela Copa Paulista. Saul garantiu a assessores que estará presente.

Numa ação preliminar que vai se estender de forma coordenadamente empresarial, Saul Klein pretende colocar em vários clubes paulistas tanto jogadores como integrantes de comissões técnicas. O modelo é experimental. Será apenas uma ponte que o levará a definir, até dezembro, qual a agremiação paulista que será incorporada pelo clube-empresa que resultará da ação da consultoria especializada. 

Pressões no São Caetano 

Pode haver ainda muitas dúvidas e especulações sobre o destino que Saul Klein dará ao clube-empresa que terá seu comando, mas existe uma certeza: ele atuará de forma incisiva como investidor no esporte. Isso significa que o São Caetano estaria senão fora de cogitação, mas provavelmente fora de ação direta do agora dirigente. 

Entretanto, nada é definitivo. Há pressões de amigos e conselheiros da Associação Desportiva São Caetano para que Saul Klein assuma o São Caetano Futebol Limitada. O clube empresarial é o braço do futebol do clube associativo. O São Caetano Futebol Limitada tem vida jurídica própria. É presidido por Nairo Ferreira de Souza. O rompimento de Saul Klein com o dirigente-executivo parece definitivo. Somente no caso de Nairo Ferreira assumir a dívida de mais de R$ 20 milhões que teria contraído poderia salvar o São Caetano do afastamento de Saul Klein como doador e o colocaria possivelmente como dirigente exclusivamente investidor. 

Trata-se de situação pouco provável: além da montanha em forma de dívida o presidente Nairo Ferreira teria outras pendências, agora de cunho privado, com Saul Klein. Há informação de que Nairo Ferreira teria compromissos com o empresário de ordem superior a R$ 20 milhões, valor semelhante ao déficit do clube-empresa. 

Poucos assuntos têm sido tão especulados no futebol de São Paulo como o destino a que Saul Klein se dará após a confirmação de mais que provável afastamento do São Caetano. Sabe-se que há uma dúzia de pretendentes. Tem-se como certo que antes e após o jogo de hoje entre Santo André e Comercial Saul Klein manterá contatos com dirigentes das duas equipes que o teriam convidado a comandar as agremiações. 

Lucro apenas contábil 

Por conta de tudo isso não faltam informações desencontradas inclusive sobre o período de mecenas no São Caetano. Há informações seguras de que nos últimos cinco anos Saul Klein teria liberado mais de 80 milhões em forma de doações. Certo é que nos dois últimos anos foram cerca de R$ 55 milhões. Isso virou passado. Saul Klein não admite voltar a atuar como doador. Prefere correr riscos típicos do empreendedorismo privado, investindo em atletas a partir da divisão de base. Até mesmo alguns parceiros no setor já teriam sido preliminarmente contatados. 

Informações desencontradas colocaram recentemente em dúvida os balanços do São Caetano. Surgiram informações de que o clube presidido por Nairo Ferreira teria registrado lucro nas duas últimas temporadas. Nada seria contraditório às doações de Saul Klein regularizadas na Receita Federal, mas a notícia não corresponde à realidade dos fatos. Houve o que poderia ser chamado de lucro fiscal, como resultado de filigranas jurídicas. Nada que tenha parentesco com lucratividade no sentido capitalista da expressão.

Prejuízos estratosféricos 

Os prejuízos do São Caetano sob o comando de Nairo Ferreira são estratosféricos. E motivo de reações que já teriam chegado ao clube associativo, a Associação Desportiva São Caetano que, de fato, representa os direitos esportivos do São Caetano Futebol Limitado. Há informações que dão conta inclusive de possível movimento para deposição de Nairo Ferreira.

Não seria o fato de estar deixando o São Caetano que levaria Saul Klein a abandonar abruptamente a agremiação, sempre na condição de doador de recursos. Sabe-se que ele se mantém atento aos direitos esportivos do clube quanto à vaga na Série A1 do Campeonato Paulista da Primeira Divisão.

O empenho que Saul Klein realizaria por conta disso é mantido a sete chaves. Entretanto, sabe-se com segurança que a Federação Paulista de Futebol não teria vida fácil caso o regulamento seja desrespeitado e favoreça o terceiro colocado da Série A2, no caso o Água Santa de Diadema. 

Segundo assessores próximos a Saul Klein, é questão de honra do ex-mecenas que o São Caetano não seja passado para trás na competição estadual mais importante do País. O Parecer Jurídico do especialista em Direitos Constitucionais e Direitos Esportivos André Ramos Tavares, publicado na íntegra por CapitalSocial, teria convencido de vez Saul Klein a encampar a empreitada contra a Federação Paulista de Futebol.  

Leia mais matérias desta seção:

Administração PúblicaEconomiaImprensaEsportesRegionalidadePolíticaCaso Celso DanielSociedadeMetamorfose Econômica

Entrevista EspecialNosso Século XXI (1ª Ed.)Nosso Século XXI (2ª Ed.)Mercado ImobiliárioEntrevista IndesejadaMeias Verdades

Quem somosSeçõesLinksAnuncieContato

Capital Social | Regionalidade para ser impressa

Fone: (11) 4425-6449 • Email: capitalsocial@capitalsocial.com.br

© 2016 | desenvolvido por Agogô e Orion Public