Imprensa

Nove meses de cinco anos que
transformariam o Diário (24)

  DANIEL LIMA - 29/01/2020

Naquele 16 de novembro de 2004, então Diretor de Redação do Diário do Grande ABC, dei ênfase especial à importância da primeira página da publicação como peça catalisadora de melhoria contínua do produto. 

Ainda não havia adotado o neologismo editorial “manchetíssima” para definir a manchete das manchetes de primeira página. A expressão surgiu a bordo deste CapitalSocial. Nem sei exatamente quando, mas vou pesquisar. 

O que mais interessa agora é reproduzir a edição de número 31 (de um total de 61 dessa série inédita sobre o que se passou naquele jornal durante meus 11 meses de trabalho como Diretor de Redação) da newsletter Capital Digital Online. Foi com esse instrumento digital que mantive contato permanente com diretores, acionistas e jornalistas do Diário do Grande ABC. O objetivo era seguir a pregação de reestruturação editorial da publicação. Capital Digital Online supostamente circularia apenas internamente, mas havia vazamentos. Agora, com esta série, o vazamento é geral e irrestrito. Nada diferente do que a sociedade demanda em tempos de transparência e comprometimento. 

Acompanhem aquela edição e se preparem para a próxima, que virá até sexta-feira, porque trataremos do Conselho Editorial, uma inovação que acrescentamos ao organograma do Diário do Grande ABC em substituição ao Conselho do Leitor. 

Primeira página precisa de

tratamento mais qualificado

Precisamos de melhor planejamento para conceber a manchete principal de primeira página, principalmente nos finais de semana e nos feriados prolongados. A impressão é que nos escravizamos pelas editorias e, com isso, abrimos um buraco na primeira página. Traduzindo: a cronologia das matérias definidas para a edição não segue ritual que privilegie cuidados em abastecer o jornal com a manchete regional de primeira página, como tem sido ao longo dos últimos quatro meses. 

Vou tentar traduzir de forma prática o que parece embaralhamento conceitual: uma manchete de Setecidades de domingo que vira manchete de primeira página pode ser a manchete de Setecidades de segunda-feira e da manchete de primeira página se a editoria de Economia reunir matéria com igual potencialidade. Quando se publicam as duas matérias num mesmo dia, desguarnece-se a manchete de primeira página do dia seguinte. 

Sei que nessas alturas do campeonato poderá haver dificuldades, porque a matéria de Setecidades tem mesmo de entrar no domingo sob pena de desfalcar a edição. Ou a matéria de Economia. Tudo bem. Por isso mesmo precisamos aumentar o número de profissionais que produzem matérias, contando com a equipe já contratada. Aí é que entram editores, subeditores e secretários de Redação.  

Temos de preparar gavetas de manchete de primeira página cuja perecibilidade não seja imediata. Na medida em que conseguirmos dar mais substância à manchete de primeira página, estabelecendo padrão de qualidade, estaremos repassando performance que, intuitivamente, todos vão agregar aos textos. 

Continuarei sendo implacável com a qualidade do produto. Ainda estamos longe do necessário. Temos editorias que ainda pecam muito tanto nos maltratos ao léxico quanto no conteúdo. E uma das maneiras de corrigir a rota é contar com manchete de primeira página ilustrativamente pedagógica. Por isso, precisamos de força-tarefa para agregar valor ao texto.

Leia mais matérias desta seção: