Economia

G-22: São Bernardo perde
de goleada para Guarulhos

  DANIEL LIMA - 06/08/2019

São Bernardo seguiu a trilha de horrores de Santo André (no confronto com Sorocaba) e, contra Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo, sofreu idêntica goleada de seis a dois. Esse é mais um resultado de confrontos entre municípios da região e integrantes do G-22, grupo dos 20 maiores endereços econômicos do Estado de São Paulo, exceto a Capital, além de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, que completam a representação do Grande ABC.

O objetivo principal dessa série é pedagógico e tem como base ressaltar os números do Ranking G-22 de Competitividade. Já apuramos nove indicadores de um total que ultrapassará duas dezenas. Oito desses índices estão sendo utilizados para dar sustentação às disputas entre cidades.

O que pretendemos mostrar é que o Grande ABC sofre percalços tanto na área de Administração Pública Municipal como no mercado de trabalho, que concentram os oito indicadores. Estamos de mal a pior nos quesitos que relacionamos mais uma vez logo abaixo.

Quando chegar a 12 o total de indicadores apurados (e isso se dará nos próximos 30 dias) voltaremos a comparações entre municípios da região e concorrentes do G-22. Vamos martelar incessantemente essa tática esclarecedora.

Chega de provincianismo

Afinal, essa é uma das respostas de responsabilidade social de jornalismo profissional. A sociedade precisa saber em que situação se encontra cada Município do Grande ABC numa série de indicadores sociais, econômicos e de políticas públicas para distinguir quem de fato é gestor com compromisso que vai além da temporada de mandato.

Na marcha da contagem que os leitores vão acompanhar logo abaixo (e que se repetirá nos próximos dias em novos confrontos, agora entre São Caetano versus Barueri e Diadema versus Mogi das Cruzes), o que temos é uma ilusão inicial de dois gols seguidos de superioridade de São Bernardo ante Guarulhos.

Entretanto, em seguida, uma forte reação do Município à Leste da Grande São Paulo mostra que está longe da verdade a afirmativa de que o Grande ABC está pagando o preço de estar na maior metrópole do País. Os males do Grande ABC são muito mais abrangentes e profundos.

É natural que Guarulhos, mesmo sem ser uma maravilha a ser invejada no G-22, está em situação muito mais favorável no Ranking de Competitividade. Embora esteja na 16ª colocação entre os 22 municípios, com 0,4204 dos pontos possíveis (quanto mais perto de 1,000 melhor), Guarulhos conta com resultado muito acima dos 0,2614% de São Bernardo, antepenúltima colocada.

Ou seja: a Capital Econômica do Grande ABC está no que seria a zona de rebaixamento do G-22, porque só supera a penúltima colocada São Caetano e a lanterninha Diadema. Ribeirão Pires, quarta melhor colocada na classificação de cabeça para baixo, também ocupa a zona de rebaixamento.

Mútuos reflexos

O confronto entre São Bernardo e Guarulhos é compatível com a compreensão da gravidade da situação do Município do Grande ABC nesta segunda década de novo século. Há deficiências estruturais explicitadas pelos indicadores já apurados que não são de fácil reparação. E nada indica que a incorporação de novos índices provocará reviravolta classificatória.

Tanto no caso de São Bernardo como no dos demais representantes da região, a gravidade é sistêmica. O Grande ABC envelheceu economicamente e se tornou um peso anacrônico para o conjunto da sociedade quando o aferidor envolve dinamismo também na área pública.

Ainda não fiz as contas do novo confronto, mas tudo indica que Barueri aplicará sonora goleada em São Caetano. Quem sabe por um placar ainda maio vexatório que os seis a dois de Sorocaba sobre Santo André e os seis a dois de Guarulhos sobre São Bernardo. Afinal, Barueri é sexta colocada no ranking geral, enquanto São Caetano é a penúltima colocada. Os dois municípios têm no setor de serviços o ponto mais forte da economia.

Acompanhem agora o confronto entre São Bernardo e Guarulhos. Uma surra típica de Santos versus Goiás no Campeonato Brasileiro.

Gol de São Bernardo

No confronto entre o ITBI (imposto que mede a temperatura do mercado imobiliário) e o IPTU (imposto que mede o custo de imóveis) São Bernardo faz um a zero no placar: o peso do IPTU é maior nos dois municípios (o que não é um bom negócio), mas a incidência do ITBI é de20,46% em São Bernardo, enquanto em Guarulhos não passa de 11,89%. São Bernardo ocupa a nona posição no ranking do G-22, nesse quesito, enquanto Guarulhos está em 19º.

Gol de São Bernardo

Dois a zero para São Bernardo. O gol desta vez é no confronto entre receitas do ISS (Imposto Sobre Serviços) e do IPTU. Tem melhor pontuação quem conta com maior peso do ISS. São Bernardo é 15ª colocada no G-22, com 92.18% do valor arrecadado do IPTU em relação ao ISS, enquanto Guarulhos aparece em 17º lugar com 92.16%.

Gol de Guarulhos

A diferença é reduzida para dois a um nesse terceiro quesito, que trata da produtividade industrial por trabalhador registrado em 2016, conforme dados mais atualizados do IBGE. A diferença é também bastante estreita: Guarulhos ocupa a 17ª colocação com R$ 127.426,20 por trabalhador, enquanto São Bernardo vem a seguir, em 18ª posição, com R$ 109.742 por trabalhador.

Gol de Guarulhos

Guarulhos empata o jogo com um gol de larga vantagem qualitativa sobre São Bernardo. No quesito PIB per capita no período mais recente de recessão seguida de estagnação (entre janeiro de 2014 e dezembro de 2016), Guarulhos é a 10ª colocada no G-22 com queda de 15,20%. São Bernardo, 21ª e penúltima classificada, perdeu 48,65% no período.

Gol de Guarulhos

Mais um gol de Guarulhos, que faz três a dois no placar. Desta feita o quesito avaliado no G-22 foi o comportamento da média salarial de todos os trabalhadores com carteira assinada no período de 2014 a2017. Guarulhos ficou em sexto lugar com aumento nominal de 21,21% no período, correspondente a 0,11 ponto percentual acima da inflação do período. São Bernardo desabou e ficou em 17º lugar, com crescimento nominal de 15,43%, e queda de 5,67% pontos percentuais em relação aos valores atualizados. Ou seja: mais de cinco vezes superior a Guarulhos.

Gol de Guarulhos

Quatro a dois no placar para Guarulhos, melhor que São Bernardo no quesito que compara a massa salarial de 2014 com a massa salarial de 2017 de todos os trabalhadores com carteira assinada. Na classificação geral Guarulhos ocupa o 14º lugar com queda de 11,44% em valores atualizados no período, enquanto São Bernardo é a penúltima colocada com queda de 24,86%.

Gol de Guarulhos

Quinto gol de Guarulhos na disputa com São Bernardo, agora no indicador de estoque de emprego em geral, em todas as atividades econômicas, após 36 meses de recessão seguida de estagnação, entre dezembro de 2014 e dezembro de 2017. Guarulhos ocupa a 17ª posição com queda correspondente a 10,30% do estoque, enquanto São Bernardo amarga 13,21%.

Gol de Guarulhos

Goleada consumada, agora de seis a dois: Guarulhos comportou-se melhor que São Bernardo no quesito que mediu perda líquida de emprego industrial no G-22 nos mesmos 36 meses. Guarulhos ocupa a 10ª posição com queda de 20,78% do estoque, enquanto São Bernardo viu desaparecerem 25,87%. São Bernardo é a 16ª colocada.

Leia mais matérias desta seção: